Se você estiver em uma dívida com juros altos ou estiver precisando de um crédito extra, refinanciar seu empréstimo ou fazer a portabilidade da sua dívida pode ser uma boa opção. É muito comum acabarmos nos enrolando com algumas contas ou até mesmo com as parcelas do cartão de crédito. Nessas horas, nada como um crédito a mais para nos salvar. Procurar o refinanciamento ou a portabilidade pode ser a salvação do seu bolso!

Mas o que é refinanciamento?

O refinanciamento é trocar seu empréstimo atual por um novo, com um crédito maior. Essa modalidade é possível desde que seja feito na mesma instituição, sendo também possível alterar o prazo de pagamento e o valor contratado.

Com esse crédito, você pode quitar as outras dívidas que possui, que estão acabando com suas finanças por causa do juros alto. Além de concentrar suas contas em uma só dívida, com um só valor de juros.

Solicitar o refinanciamento também é uma forma de sair com dinheiro no bolso, pagando o mesmo valor de antes. Por exemplo, você fez um empréstimo de R$10.000,00 mas já quitou 24 parcelas de R$281,50. Quando solicitar o refinanciamento, o banco quitará o valor restante e te entregará essa diferença de aproximadamente R$1.504,41.

Lembrando que o valor que é liberado para refinanciamento depende do montante que já foi pago, ou seja, quanto maior número de parcelas pagas, maior limite liberado.

O que é Portabilidade de Dívidas?

A portabilidade de dívidas, por sua vez, é uma possibilidade de transferir seu contrato de empréstimo consignado ou de financiamento imobiliário de uma instituição financeira para outra. A escolha é realizada geralmente quando essa segunda instituição possui condições de pagamento e taxas de juros melhores, mantendo o mesmo número de parcelas restantes, mas obrigatoriamente reduzindo a taxa de juros do contrato original.

Esta mudança de dívidas por muitas vezes é mais vantajosa para o tomador, do que o refinanciamento, uma vez que um banco pode ter taxas menores que outro. Na portabilidade de dívidas é possível reduzir a taxa de juros, como também a parcela de seu empréstimo. Com isso, você sai com um valor superior a qualquer outra negociação.

Solicitar a portabilidade é uma forma de sair com dinheiro no bolso, pagando o mesmo valor de antes. Por exemplo, você fez um empréstimo de R$10.000,00 mas já quitou 12 parcelas de R$281,50. Quando solicitar a portabilidade é possível reduzir o valor da sua parcela em até R$44,61, mantendo o prazo do contrato pago. Ou seja, se você deve 60 parcelas, continuaria em aberto 60x, mas de R$236,89. Então, com a diferença que sobra dos valores, é possivel fazer um contrato novo de R$1.605,95.

Vantagens do refinanciamento

Se você tem dúvidas se o refinanciamento é para você, confira as grandes vantagens desse tipo de negócio:

 –   Rapidez na liberação de crédito: como este não é um empréstimo novo, o banco já possui todos seus dados e histórico, de forma que não precisa levantar esses dados e consegue liberação de crédito mais rápido.

–   Alteração do valor do empréstimo: no refinanciamento é possível pedir mais crédito pelo mesmo valor de parcela que já vinha sendo pago, o que é um ótimo benefício e oportunidade para você garantir aquele crédito a mais!

–   Menor burocracia: o refinanciamento é um processo super simples entre o cliente e a operadora, sendo apenas uma alteração do contrato, que não demanda simulação nem análise de crédito.

–   Aumentar o prazo de pagamento: com o refinanciamento, é possível solicitar um prazo maior para quitação do empréstimo e pagá-lo com um espaço maior de tempo – uma ótima vantagem para aliviar seu bolso!

 Vantagens da Portabilidade de Dívidas

Solicitar a portabilidade de suas dívidas compensa muito desde que haja vantagens para você dependendo do tipo da portabilidade realizada. Existem duas opções de portabilidade:

  • Portabilidade de dívida com redução de parcela seguido de novo empréstimo: nesta modalidade nós reduzimos o valor da parcela do contrato original e, em seguida, fazemos um novo empréstimo utilizando o valor da redução. Mantemos o prazo do contrato original, alterando apenas o prazo do novo contrato.
  • Portabilidade com refinanciamento: nesta modalidade também fazemos a redução dos juros do contrato original, porém, o prazo do contrato retorna a 72x para que seja liberado dinheiro para o cliente.

Como funciona o refinanciamento de empréstimo consignado do INSS?

Para solicitar o refinanciamento de um empréstimo consignado é preciso consultar o saldo devedor, o novo valor liberado e verificar se está dentro das regras do banco. Antes é importante confirmar se o valor liberado atende sua expectativa, uma vez que contratando refinanciamento, seu contrato irá retornar para início. Na prática, para que consiga liberar troco para cliente precisamos retornar o contrato ao maior  prazo o máximo possível que, no caso do INSS, são 72 meses.

 Como funciona a portabilidade de dívidas no convênio INSS?

Se sua dívida for proveniente de um banco, é necessário solicitar a transferência para a instituição financeira que você deseja. O ideal é que seja avaliado todo o contrato e as regras da instituição quanto à dívida.

Aqui na Carrera Carneiro, somos especialistas na portabilidade de dívida do convênio INSS. Desenvolvemos um software no qual realizamos uma análise de todas as regras e possibilidades de transferência de dívida de forma imparcial. Nessa análise, identificamos as melhores condições, seja para redução da parcela com posterior novo crédito ou o refinanciamento da portabilidade.

Então fique atento a diferença das duas modalidades: fazendo a portabilidade conseguimos R$1605,95, mas contratando o refinanciamento conseguimos apenas R$401,62, ou seja, R$1204,33. 

Peça agora mesmo sua portabilidade de dívidas e saia com dinheiro no bolso!

 

Leia mais:

O que é e como funciona o empréstimo consignado do INSS
Baixo juros: a maior vantagem de contratar um empréstimo consignado
É possível fazer empréstimo com nome sujo?

Leave a Reply

WhatsApp chat